Domingo, 28 de Novembro de 2021
27°

Pancada de chuva

Parintins - AM

Política FALA DE BOLSONARO

Discurso para terraplanistas e negacionistas

Acuado pela CPI da Covid e com a popularidade se esvaindo Bolsonaro faz pronunciamento com meias verdades

03/06/2021 às 22h33
Por: Eduardo Gomes
Compartilhe:
Discurso para terraplanistas e negacionistas

Ao fazer pronunciamento em cadeia de rádio e tv na última quarta-feira(02/06), o presidente Jair Bolsonaro, direcionou seu discurso ao seu público, terraplanistas e negacionistas que ainda o seguem. O Presidente ao aceitar fazer o pronunciamento, o fez diante do grande desgaste que vem sofrendo com a CPI da Covid do Senado, transmitida ao vivo por emissoras de televisão, expondo seu governo. Na esteira do desgaste, Bolsonaro vê sua popularidade sangrando a cada depoimento na CPI com ampla cobertura da imprensa. Ele e sua horda de seguidores se sentem acuados. Falta-lhe a verdade.

Logo no início do seu pronunciamento redigido por sua assessoria há uma meia verdade, quando fala da distribuição de 100 milhões de doses e por isso, o Brasil é o quarto País que mais vacina. Escondeu a verdade, pois quando se verifica o total de pessoas vacinadas, pois se verificarmos os dados proporcionais, o País está na 54ª. posição no ranking mundial de pessoas imunizadas com a 1ª. e 2ª. dose. Pouco mais de 10% da população receberam até nesta dada as duas doses.

Não custa lembrar que o Presidente ao longo do ano passado (2020), ignorou a compra das vacinas. Pelo contrário, desdenhou o quanto pode e desprezou as propostas de compra das vacinas  Coronavac e Pfizer. Seu governo somente passou a considerar a compra de imunizantes em janeiro deste ano, diante da iniciativa do governador de São Paulo, João Dória, seu adversário em firmar contrato com a farmacêutica chinesa Sinovac.

Ao afirmar que que neste ano todos os brasileiros serão vacinados, Bolsonaro demonstra o desprezo para com a vida dos brasileiros, deixando claro que o ato de imunização é opcional, quando como chefe da Nação deveria estimular.

Ao invés de se redimir dos erros e omissões, o Presidente novamente criticou governadores e prefeitos que agiram no enfrentamento da Pandemia, ao se eximir das ações de distanciamento e isolamento social, suspensão de atividades como forma de estancar a disseminação do vírus. Novamente ele demonstrou se eximir de sua responsabilidade de liderar a população brasileira no enfrentamento da pandemia, que já matou mais de 470 mil brasileiros, incluindo aí muitos bolsonaristas negacionistas.

Na parte econômica, Jair Bolsonaro falta com a verdade. A concessão do auxílio emergencial somente foi possível diante da pressão do Congresso. O governo Bolsonaro tinha como proposta o pagamento de R$ 200 e por pressão do Congresso aceitou pagar R$ 600 aprovado pelos parlamentares.

Outra citação enganosa do Presidente é em relação ao crescimento do PIB (Produto Interno Bruto) em 1,2% no primeiro trimestre deste ano. Esse crescimento se deve basicamente as exportações de commodities pelo agronegócio, impulsionados pela alta do dólar frente ao real e aos preços dos produtos. Só uma pouca parcela da população sente o reflexo do crescimento do PIB. A maioria dos brasileiros da classe média baixa e baixa ainda sofrem com a falta de renda, principalmente aqueles que exercem atividades de prestação de serviços.

A prova que as falas de Bolsonaro se mostraram pouco convincentes foram as manifestações nas capitais e diversas cidades do País durante o pronunciamento com os chamados “panelaço”. Muitos dos manifestantes foram eleitores do Presidente em 2018. Estão frustrados e decepcionados com o capitão.  

Enquadrados A decisão de não punir o general de divisão de três estrelas mostra que o presidente Jair Bolsonaro conseguiu seu objetivo.

Inspiração ― Aos poucos o Presidente Jair Bolsonaro vai pavimentando o seu objetivo de implantar o Bolchavismo no País.

Frase ―Cada vez tenho maior convicção: estamos vivendo um chavismo de direita” – deputado federal Rodrigo Maia, ex-presidente da Câmara dos Deputados.

Comeu abiu ― Defensor da punição do general Eduardo Pazuello, o vice-presidente e general da reserva Hamilton Mourão silenciou sobre a decisão do comandante do Exército.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Jogo do Poder
Jogo do Poder
Sobre Tudo sobre os Bastidores do Poder e da Política na ótica do Jornalista Eduardo Gomes.
Parintins - AM Atualizado às 22h55 - Fonte: ClimaTempo
27°
Pancada de chuva

Mín. 23° Máx. 32°

Seg 33°C 24°C
Ter 32°C 23°C
Qua 30°C 23°C
Qui 32°C 23°C
Sex 33°C 23°C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes
Ele1 - Criar site de notícias