Terça, 17 de Maio de 2022
23°

Pancada de chuva

Parintins - AM

Entretenimento & Cultura Erro histórico

Legislativo de Parintins negou cidadania a Thiago de Melo, erro foi corrigido antes de sua morte

A negativa ao poeta da floresta o deixou muito abalado, pois sempre nutriu grande carinho por Parintins

14/01/2022 às 15h56 Atualizada em 17/01/2022 às 01h25
Por: Redação
Compartilhe:
Legislativo de Parintins negou cidadania a Thiago de Melo, erro foi corrigido antes de sua morte

 

Carlos Alexandre
[email protected]

Parintins (AM) – A morte do poeta Thiago de Melo repercutiu nacionalmente por seu significado na literatura brasileira. O estado do Amazonas e a prefeitura de Manaus decretaram luto oficial. Em Barreirinha, terra natal do poeta, a comoção é muito grande. O Jornalista barreirinhense Jean Beltrão ao participar do Jornal do Amazonas, primeira edição, da Rede Amazônica ao vivo lembrou de sua professora Bell (já falecida) que tornava obrigatório aos alunos da Escola Senador João Bosco a conhecerem e recitarem “Os Estatutos do Homem”. “Os estatutos do homem ficavam em evidencia na biblioteca”, contou ele.

Em Parintins, Thiago de Melo foi vítima de um erro considerado histórico. O vereador Henrique Medeiros contou ao CNA7 que na década de 80 os parlamentares negaram o título de cidadania parintinense ao poeta da floresta.  Os parlamentares negaram a história, a luta, seu compromisso com os direitos humanos e principalmente o fato de Thiago de Melo, por meio de seus livros, ter dado mais evidencia a região do baixo Amazonas e a Floresta Amazônica. “Foi um erro histórico”, classificou Medeiros que foi parlamentar por vários mandados e presidente da Câmara em duas oportunidades.

Medeiros estava no segundo mandato de vereador quando ouviu de Antônio Faria o acontecimento teria abalado o escritor. “O Thiago tem um carinho e amor por Parintins. Ele tem uma relação muito grande pela cidade e tudo isso mexeu muito com ele”, contou, na época, Faria. As declarações motivaram o parlamentar a reapresentar, no final da década de 90, o projeto da comenda que foi aprovado por unanimidade. “Nós reparamos esse erro histórico. O Thiago foi em Parintins, recebeu a comenda, foi muito feliz na Câmara. Ele fez um belo discurso emocionado e ficou muito gratificado. Nós reparamos um erro histórico, o Thiago é cidadão do mundo e por que negaríamos esse título”, pondera o ex-vereador que se diz com a missão de dever cumprindo.

Amizade

Thiago de Melo era considerado por seus amigos como príncipe da amizade. Quem lhe acompanhava sabe da fidelidade e das boas companhias que ele tinha. Uma das pessoas que teve amizade cultivada pelo artista foi autônomo Antônio Faria que o conheceu quando o poeta voltou do exilio para Barreirinha.

“O poeta nos deixou e o vazio que fica na cultura e na poesia do Brasil é imenso. Foi um privilegio uma amizade como a do Thiago. Muito aprendi e foi saudável nossa convivência durante tantas décadas. A dor da partida e da separação é a saudade, mas ele está em paz e o poeta é eterno por sua obra”. O escritor que tanto defendeu os direitos humanos e evidenciou a floresta amazônica em sua luta também era preocupado com os jovens. “Thiago sempre pediu aos jovens que estudassem e lessem bastante. Ele fazia esse pedido sempre”, afirmou Faria.

Thiago de Melo se banha no rio Andirá em 2015. Foto: Rodrigo Sombra. 

O missionário Henrique Uggé também lamentou a morte do poeta e escritor Thiago de Melo. Quando começou a trabalhar em Barreirinha e se dedicar aos indígenas Sateré Mawé, o trabalho do sacerdote chamou atenção do ilustre amazonense. “Quando nos encontrávamos, trocávamos ideias ele me oferecia seus poemas, escritos e tudo o que ele produzia em favor de nossa querida Amazônia.  Ele também era muito atento as publicações que a gente fazia. Eu sou muito grato porque ele apreciou e parabenizou o nosso trabalho em prol aos indígenas Sateré Mawé. Peço a Deus que receba a alma desse grande homem que foi Thiago de Melo”.

O jornalista Eduardo Gomes participou da produção do livro de crônicas “Arte de empinar papagaio” de Thiago de Melo. O livro editado em 1982 permitiu uma convivência de pelo menos seis meses entre o poeta e o jornalista. “É uma perda para a cultura amazonense e brasileira a morte de Thiago de Melo”, assegura o jornalista que trabalhou, na obra, ao lado de Andreas Valentin.

Abaixo acompanhe as homenagens feitas pelos municípios de Barreirinha, Parintins, os bumbás Caprichoso e Garantido e políticos do país que se manifestaram após a morte de Thiago de Melo.  

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Frank Bi Garcia (@frankbigarcia)

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Boi Bumbá Caprichoso (@boicaprichoso)

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Wilson Lima (@wilsonlimaam)

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por Boi Bumbá Garantido (@boigarantido)

 
 
 
 
 
Ver essa foto no Instagram
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Uma publicação compartilhada por David Almeida (@davidalmeidaam)

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.
Amazônia
Amazônia
Sobre Notícias sobre a Amazônia!
Parintins - AM Atualizado às 04h11 - Fonte: ClimaTempo
23°
Pancada de chuva

Mín. 23° Máx. 31°

Qua 28°C 23°C
Qui 28°C 22°C
Sex 29°C 21°C
Sáb 31°C 21°C
Dom 31°C 21°C
Horóscopo
Áries
Touro
Gêmeos
Câncer
Leão
Virgem
Libra
Escorpião
Sagitário
Capricórnio
Aquário
Peixes
Enquete
Ele1 - Criar site de notícias